HISTÓRIA DO CARIMBO

Rei Português D. Diniz, criou o carimbo como o conheçemos.

. O carimbo tem uma história de milhares de anos.
A forma que ele tinha e foi ganhando está directamente relacionada com o avanço tecnológico.
. O carimbo/selo serve para o reconhecimento, prova ou atestado de autenticidade de um documento.
. Este é o conceito que preside inalterável ao longo dos séculos.
.
Era vulgar nos tempos antigos, os reis utilizarem um anel para marcarem em cera ou lacre a autenticidade da mensagem ou documento, sendo mais ou menos elaboradas, as formas que estavam gravadas nesse anel.
. Desde a utilização de uma forma cunhada, em cera, metal ou lacre, até ao que mais recentemente se entende por selo, a impressão dessa forma através de sinete ou carimbo.

. Utilizando estas formas de autenticar os documentos ficaria o receptor a saber se o documento era ou não verdadeiro.

. Hoje em dia existem várias ciências como a Esfragística, que pode pronunciar-se acerca da veracidade de um documento, assim como o porquê das figuras nesse carimbo/selo e até a posição social de quem o utilizava.

. A Sigilografia estuda os sinetes, selos, bulas, matrizes e carimbos secos, que existem por todo o mundo e em Portugal podem ser vistos no Museu Histórico Nacional, onde estão entre outros o carimbo/selo em cera dos séculos XII e XIII da cidade de Hamburgo e duas bulas Papais dos séculos XIV e XV

CARIMBOS / SELOS DE AUTENTICIDADE

. O Carimbo e a autenticidade para osactos notariais.
Quem o criou?
. Quem o concebeu na forma que hoje o conhecemos foi o rei português D. Diniz em 1305.
. Decretou ele, que para que um documento tivesse validade e se reconhecesse como verdadeiro deveria ser escrito por tabeliões portugueses, autenticando com o carimbo/selo da cidade ou vila e feito
na presença de cinco testemunhas.
. Os carimbos/selos do concelho, como lhe chamavam, deveriam conter palavras régias, sinais reais, o nome de D.Diniz e o nome da cidade ou vila.
. O carimbo/selo ficaria na posse de um "homem bom" nomeado pelo Rei e este jurar fidelidade sobre os Santos Evangelhos.